Quarta, 22 de agosto de 2018
63 98500 8112
Palmas

08/08/2018 às 23h07 - atualizada em 09/08/2018 às 00h28

2.652

Redacao

Palmas / TO

Defensoria questiona HGP, Sesau e Polícia Civil sobre denúncia de preconceito no Hospital Geral de Palmas
A Defensoria também oficiou a 1ª Delegacia de Polícia Civil de Palmas solicitando informações quanto ao andamento das investigações, já que a servidora registrou boletim de ocorrência.
Defensoria questiona HGP, Sesau e Polícia Civil sobre denúncia de preconceito no Hospital Geral de Palmas
Foto: Reprodução Agência Tocantins

A Defensoria Pública do Estado do Tocantins (DPE-TO) oficiou o Hospital Geral de Palmas (HGP) e a Secretaria Estadual da Saúde (Sesau),  nesta quarta-feira, 8, solicitando informações e recomendando que providências sejam tomadas para apurar denúncia de preconceito contra uma servidora transexual que trabalha no referido Hospital. A Defensoria também oficiou a 1ª Delegacia de Polícia Civil de Palmas solicitando informações quanto ao andamento das investigações, já que a servidora registrou boletim de ocorrência.


Os encaminhamentos foram feitos, de forma conjunta, pelos coordenadores dos Núcleos Aplicados das Minorias e Ações Coletivas (Nuamac) de Palmas e Araguaína, a defensora pública Letícia Amorim e o defensor público Sandro Ferreira. Nos documentos oficiais, a Defensora e o Defensor Público relatam que, conforme a denúncia, a servidora sofreu violação de direitos humanos com indícios de conduta preconceituosa por se tratar de uma mulher trans.


A Defensora e o Defensor Público solicitam que o HGP e a Sesau informem ao Nuamac Palmas e Araguaína, em até cinco dias, sobre a situação denunciada e as providências que já foram tomadas.


Informações


Por meio dos Nuamacs, a Defensoria quer saber do HGP e da Sesau, entre outros questionamentos, se há por parte do médico denunciado, histórico de recusa de instrumentador cirúrgico ou equipe de enfermagem e, em caso positivo, sob qual motivação.


Também há a solicitação de informação sobre registros de cancelamento ou suspensão de cirurgia em razão de recusa do médico acerca da equipe. Além disso, entre outras informações, a Defensoria quer saber se é permitido, por parte do HGP, que o médico responsável por uma cirurgia desqualifique a equipe designada pelo próprio Hospital na presença do paciente a ser operado, ampliando – dessa forma – o o estresse emocional do usuário do Sistema Único de Saúde (SUS).


A denúncia


Byanca Marchiori é servidora do quadro da Saúde do governo do Tocantins e relata que o ato discriminatório contra sua pessoa foi cometido por um médico, dentro de uma sala cirúrgica do HGP, na última segunda-feira, 6.  Conforme a denúncia, a situação aconteceu na presença do paciente que estava prestes a ser submetido a uma cirurgia.


Em nota de repúdio à situação denunciada, a Associação de Travestis e Transexuais do Estado do Tocantins (Atrato), entidade presidida por Byanca, destaca que o médico “(...) entrou gritando e mandando-a sair da sala de cirurgia (...)”. Conforme a nota, o médico teria se dirigido à servidora chamando-a de “rapaz”, o que para a entidade é um sinal de “transfobia por não respeitar a identidade de gênero de Byanca”.


Diante da situação, e considerando que a Defensoria atua em favor das minorias e na garantia dos direitos de todos os cidadãos, a defensora pública Letícia Amorim e o defensor público Sandro Ferreira recomendam à Sesau e ao HGP que, caso ainda não haja procedimento interno para apurar os fatos, que seja instaurada uma sindicância. 


Veja mais notícias da região no Agência Tocantins

FONTE: Defensoria Pública do Estado do Tocantins (DPE-TO)

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
RAPIDINHAS
Postada em 06/08/2018 ás 07h33

Tocantins estado para onde muitas pessoas vieram na década dos anos 90, atrás de conseguir realizar seus sonhos e conseguir a tão sonhada casa própria e mudar de vida, em meio a um cerrado ainda sendo desbravado por nortistas, sulistas, nordestinos, pessoas vindas de todas as regiões do país, para uma terra que antes era conhecida como o corredor da miséria, pelos então moradores da região sul do Estado de Goiás.[

Terra essa, que durante alguns anos fora comandada por verdadeiros coronéis, que interromperam as realizações dos sonhos de diversos pioneiros que aqui acreditaram, é nesse pleito querem retornar ao poder no intuito de alimentar as suas ganâncias e realizar seus desejos individuais, estarão indo às ruas, batendo de porta em porta, na televisão, nos rádios e nas redes sociais para mais uma vez enganarem os sofridos pioneiros que no passado acreditara em suas promessas, que até hoje nunca ser responsabilizaram em cumprir e realmente trabalhar em prol de todos.

Postada em 03/08/2018 ás 12h19

Tudo está muito louco. Pré candidato que lutava contra a "velha política" e xingava os políticos tradicionais uniu-se a eles em nome de um projeto de poder.  O que também e pré-candidato o Juiz que criou a lei da ficha limpa para barrar políticos envolvidos em corrupção de participar do processo eleitoral se alia a esses políticos que ele tentou barrar. Vai enternder 

Postada em 31/07/2018 ás 17h35

O Bico do Papagaio é uma região bonita e rica, porém, sem investimento por parte do poder público para explorar suas potencialidades. Até o presente momento nossa região foi tratada apenas como um garimpo de votos, onde se vem extrai os votos e depois é esquecida pelos próximos quatro anos.

Precisamos de um representante que não veja o Bico do Papagaio somente como um lugar para angariar votos, mas que esses votos conseguidos aqui se transformem em benefícios para a Região.

Postada em 31/07/2018 ás 03h38

Conforme o Delegado responsável pelo caso,  o indivíduo é suspeito de ter mantido relações sexuais com a menor, mediante violência imprópria, isto é, após ter embriagado agarota de apenas 12 anos de idade.

Postada em 29/07/2018 ás 21h13

Dois carros bateram de frente na avenida Teotônio Segurado na manhã deste domingo (29). O acidente aconteceu ao lado do estádio Nilton Santos, no trecho onde a avenida tem pista única, próximo à ponte que dá acesso à região sul da capital. Conforme os bombeiros, um homem teve ferimentos mais graves e foi levado para o Hospital Geral de Palmas.

Facebook
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados - Agência Tocantins - Contatos: (63) 98500-8112 – Email: [email protected]