Terça, 11 de dezembro de 2018
63 98500 8112
Esportes

22/09/2018 às 18h30

87

Redação

Palmas / TO

Estudantes tocantinenses vivenciam modalidades esportivas com medalhista paralímpica Terezinha Guilhermina
Esta é a primeira vez que o Comitê Paralímpico Brasileiro promove o Festival do Atleta Paralímpico no país. Cerca de dez mil pessoas foram envolvidas na ação deste sábado.
Estudantes tocantinenses vivenciam modalidades esportivas com medalhista paralímpica Terezinha Guilhermina
Terezinha Guilhermina demonstrou habilidades na pista de atletismo ao correr com o aluno João Pedro - (Fotos: Nilson Chaves/Governo do Tocantins)

Mais de 100 estudantes das redes estadual e municipal com deficiência física, visual e intelectual, além da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Palmas e Paraíso participaram do Festival Dia do Atleta Paralímpico, neste sábado, 22 de setembro, em Palmas, onde puderam experimentar a prática de três modalidades esportivas, com a medalhista paralímpica, Terezinha Guilhermina, que já conquistou três ouros em Jogos Paralímpicos. O Festival, realizado pelo Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) em comemoração ao Dia Nacional do Atleta Paralímpico (22 de setembro) em 48 municípios de todo o País, foi promovido na Capital, em parceria com a Secretaria de Estado da Educação, Juventude e Esportes (Seduc).


Bem à vontade e com muita simpatia, a velocista brasileira, que tem deficiência visual, emocionou o público; conversou com os alunos, professores e ainda fez uma demonstração na pista de atletismo da Universidade Federal do Tocantins (UFT), ao correr ao lado do estudante João Pedro Bernardes, que também tem deficiência visual. “Foi emocionante correr com uma medalhista. Fiquei muito feliz de participar desse evento”, frisou o aluno.


Terezinha Guilhermina falou das dificuldades da carreira iniciada aos 22 anos e dos desafios para se tornar uma campeã. “Estou muito feliz de participar dessa iniciativa que promete muito sucesso com o fomento do paradesporto no Brasil. Toda caminhada começa com o primeiro passo e, no caso do esporte, quanto mais cedo,  maior é a probabilidade de ter mais sucesso. Quando fiquei sabendo que cego podia correr me senti motivada. Ver essa galera podendo experimentar a prática do esporte, independente da deficiência, é um privilégio, um sonho realizado. Ser parte disso é extremamente especial e emocionante para mim. Sempre reforço que valeu a pena todos os desafios que eu superei para hoje ser espelho para essa geração”, destacou.


Durante o Festival, as crianças e os jovens com idade entre 10 e 17 anos, acompanhadas de familiares e professores, experimentaram as modalidades esportivas paralímpicas de atletismo, bocha e tênis de mesa, vivenciadas de forma lúdica e inclusiva, utilizando equipamentos esportivos confeccionados com material reciclável, como raquetes, bolas de tênis, bocha e peso.


Aparecida Guedes, mãe de Amanda, aluna da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Palmas, com paralisia cerebral, disse que ficou emocionada ao ver a filha praticar esportes. “Muito bom esse momento de socialização. Nunca imaginei que a minha filha pudesse praticar todos esses esportes, inclusive tênis de mesa. Com tudo adaptado à deficiência dos atletas, ela pôde participar de todas as modalidades esportivas. Fiquei feliz por ver minha filha tão feliz”, completou.


A professora Joianésia da Silva Carvalho, da Escola Municipal Darcy Ribeiro, de Palmas, que acompanhava os alunos no evento, disse que as demonstrações das práticas esportivas utilizando materiais construídos pelos próprios professores serão facilmente aplicadas na unidade estudantil. “Nas aulas de educação física, a gente pode adaptar os esportes para a participação de todos, construindo os próprios materiais. A gente aprende muito vendo os alunos participando de atividades como essas, e isso nos estimula a fazer mais por eles”, destacou.


“Foi um momento muito lindo poder participar de todos esses esportes. O que mais gostei foi a bocha, nunca tinha jogado”, disse Vitória Aparecida Neres, de 13 anos, da Escola Municipal Darcy Ribeiro, de Palmas.


Para a coordenadora técnica do Festival em Palmas, Keilla Gonçalves, o objetivo foi atingido com o fomento do esporte paralímpico. “Pessoas que nunca tiveram aproximação com o esporte paralímpico puderam vivenciar três modalidades diferentes. Um dos objetivos do CPB com a promoção desse evento é que os professores percebam que não precisa ter um material específico para incentivar o esporte. Os materiais podem ser construídos, como nós fizemos para o evento, aproveitando material reciclável e adaptando a prática esportiva de acordo com a deficiência dos alunos. Vimos nos rostos desses alunos a alegria e a felicidade em participar desse momento”, frisou.


Esta é a primeira vez que o Comitê Paralímpico Brasileiro promove o Festival do Atleta Paralímpico no país. Cerca de dez mil pessoas foram envolvidas na ação deste sábado, que promoveu a experimentação do esporte adaptado a cerca de 7.200 crianças, com faixa etária de 10 a 17 anos.


Foram parceiros na realização do Festival em Palmas a Federação das Apaes do Estado do Tocantins,  Secretaria Municipal de Educação de Palmas, Universidade Federal do Tocantins, campi de Palmas e Miracema, Instituto Federal do Tocantins (IFTO), campus de Palmas, Faculdade de Palmas (Fapal) e Centro Universitário Luterano de Palmas (Ulbra), com um total de 205 pessoas envolvidas, sendo 111 alunos - 21 com deficiência física, 72 com deficiência intelectual, 8 com deficiência visual e 10 não deficientes.


 


Veja mais notícias da região no Agência Tocantins

Clique nas imagens abaixo para ampliar:
O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
RAPIDINHAS
Postada em 24/11/2018 ás 14h37

A coisa está ficando insustentável. Com o governo sofrendo investigações e seus aliados envolvidos em escândalos que vai de depósito ilegal de resíduos hospitalares à apologia à pedófilia, a única saída possível e honrosa diante de tanto descalabro, que só tende a aumentar, é a cassação.

Não podemos estar sob as ordens de um governo que está moralmente abaixo de nós. As denúncias de obstrução de Justiça, concessão de contrato sem licitação para uma empresa da família de um aliado que culminou em um crime ambiental e denúncia por supostos crimes eleitorais já são fatos suficientes para que não tenhamos esse governo como legítimo.

 

Keops Mota

Postada em 08/11/2018 ás 12h55

Carlesse mente

Mauro valesse queria apenas poder sobre os bois e idiotas do Tocantins.

Depois de eleito Mauro Carlesse se tornou soberbo e arrogante e recebe apenas pessoas ligadas ao agrobusiness.

Valesse não é aquele homem humilde e correto que imaginávamos,Ele é um lobo branco disfarçado de ovelha e ao que parece será bem pior que Marcelo Miranda e não vai se sustentar no poder.

Mauro Carlesse prometeu defender e respeitar os funcionários públicos perseguidos e humilhados por Marcelo Miranda,e quando chegou ao poder virou as costas para os humildes e dá ouvidos apenas a deputados que compraram votos por 500 mil.

Mauro Carlesse nada faz pela segurança falida do Tocantins e virou suas costas largas para a saúde ferida dos tocantinenses.

Mauro Carlesse ficou neutro surdo burro e mudo quanto a Bolsonaro,e agora quer ser beneficiado.Quem é Mauro Carlesse? AINDA SABEREMOS.

Postada em 22/10/2018 ás 22h02

O Estado do Tocantins terá que promover demissões em massa se quiser se enquadrar na LRF. Carlesse estará entre deixar os contratos dos deputados e reorganizar as contas públicas]

Um levantamento publicado na Folha de São Paulo feito pela ex-secretária da fazenda de Goiás, Ana Carla Abraão, e com base nos dados do Tesouro Nacional e dos entes da Federação dá conta de que o Tocantins gasta com pessoal 71,4% de toda a sua receita.

Há alguns dias o governo do Estado havia dito que que o gasto com a folha de pagamento chega a um pouco mais 58%. Mas conforme o levantamento publicado na Folha de São Paulo esse número pode estar sendo maquiado, pois, segundo a reportagem, o gestor não considera alguns gastos como receitas com despesas com pensões, obrigações patronais e auxílios, o que coloca esse número muito mais acima do divulgado.

O Tocantins está à beira do abismo; somente uma reforma estrutural de proporções gigantescas pode tirá-lo desse precipício. Mas reduzir a folha de pagamento também implica em mexer com interesses políticos dos deputados estaduais. Os acordos firmados no período eleitoral coloca o governador Mauro Carlesse em uma verdadeira sinuca de bico, de um lado os antigos aliados que lutarão para manter seus contratos, e de outro os que vieram depois que lutarão para colocar os seus.

Com mais de 71% das receitas comprometidas com a folha de pagamento já estamos perto do caos, se ceder às pressões dos deputados e aliados políticos o caos irá nos engolir, por outro lado se agir com responsabilidade e promover demissões e não contratar tão cedo, o governador irá retomar o caminho do desenvolvimento, o Tocantins se tornará um canteiro de obras e teremos pleno emprego. Se tomar a segunda decisão possa ser que os deputados se sintam traídos e tentem boicotar o governador na AL/TO.

O Governador está entre a cruz e a espada.

Postada em 06/10/2018 ás 17h46

Amanhã iremos às urnas para decidir quem será nosso o proximo  governador,  2 Senadores,  8 Deputados Federais e 24 Deputados Estaduais. Temos que escolher bem, para que não possamos cair novamente em outra onda de instabilidade.  Ainda não nos recuperamos da primeira, logo veio outra e não podemos correr o risco de termos uma terceira, que será o decreto do fim do Estado do Tocantins, por isso, é imprescindível que você antes de digitar os números de seus candidatos pense no futuro do seu filho.

Postada em 29/09/2018 ás 09h30

O Tocantins está caindo em mais uma insegurança política e jurídica. Será a terceira vez que um governador é cassado no Tocantins: duas vezes com Marcelo Miranda e uma provável com Carlesse.

Os crimes que cassaram Marcelo Miranda e podem cassar Carlesse são os mesmos: abuso de poder econômico e político. Essas inseguranças jurídicas e políticas ocasionadas pelo desejo do poder pelo poder causam um mal ao tocantinense de bem, empresas fogem do Estado, desemprego aumenta e a miséria se alastra em solos tocantinenses.

Não aguentamos mais uma cassação, isso será o decreto do fim do Tocantins. Dia 7 de Outubro não pense no agora, pense no futuro, e no desgaste que um mandato interrompido causa. Precisamos de melhorar a economia do Tocantins para melhorar a vida do tocantinense, Carlesse com essa insegurança jurídica não garante isso.

 

Kelps Mota

Facebook
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados - Agência Tocantins - Contatos: (63) 98500-8112 – Email: [email protected]