Quinta, 21 de fevereiro de 2019
63 98500 8112
Saúde

24/09/2018 às 18h59 - atualizada em 24/09/2018 às 23h40

1.179

Perla Guimarães

Palmas / TO

Infecções íntimas e outros vilões das mulheres que desejam engravidar
Problemas na saúde íntima geram secura vaginal, coceira e podem ser provocados por alterações hormonais ou consumo de substâncias
Infecções íntimas e outros vilões das mulheres que desejam engravidar

Um dos primeiros incômodos entre as mulheres que apresentam alterações hormonais é a  secura vaginal. É engano pensar que a falta de lubrificação é acometida somente em períodos de menopausa, até mesmo as mais jovens podem apresentar esse sintoma em determinado momento.


Segundo o portal especialista em saúde e maternidade, Trocando Fraldas, a secura vaginal está presente em 33% das brasileiras e pode significar um problema para a gravidez. Aqui vamos listar possíveis complicações que geram a secura vaginal e desequilibra a saúde íntima da mulher. Acompanhe.


Desequilíbrio hormonal


A flora vaginal é um sistema que necessita da produção adequada de estrogênio para estimular as células da parede vaginal na produção do glicogênio. As bactérias saudáveis, como os lactobacilos presentes nessa região, ajudam a manter em equilíbrio o pH e a deter possíveis agressores.


Por algumas razões como infecções, inflamações e outros, a produção de estrogênio no organismo pode ser insuficiente, o que desequilibra a flora vaginal e pode gerar secura.


Portanto, antes de usar qualquer tipo de lubrificante para resolver o problema momentaneamente é essencial procurar auxílio de uma ginecologista para avaliar o quadro.


Amamentação


Embora pouco comentado, o período da amamentação também pode afetar a flora vaginal, porém isso não é uma regra, algumas mulheres não apresentam esse sintoma.


A prolactina produzida durante a amamentação interfere na liberação do hormônio estrogênio, mas nem sempre gera desequilíbrio. Mães que produzem prolactina em excesso podem ser acometidas pela queda da lubrificação. Nesse caso é recomendado procurar orientação médica.


Menopausa


Durante a menopausa é muito comum a secura vaginal, pois nessa fase todos os hormônios sexuais femininos sofrem alterações. Esse é um período em que o corpo compreende que passou da fase reprodutiva, portanto diminui a produção de células na parede vaginal responsáveis pela lubrificação e fertilidade.


Além da secura vaginal, as mulheres em período de menopausa apresentam outros sintomas como a coceira e devem realizar o acompanhamento médico. Se houver necessidade o especialista vai indicar a reposição hormonal para esses casos, além do lubrificante íntimo.


Infecções


A candidíase é uma das infecções mais comuns entre as mulheres, afetando cerca de 75% da população feminina. Os fungos oportunistas que vivem na própria região vaginal podem se manifestar em decorrência da baixa imunidade ou má higiene íntima.


A candidíase provoca coceira, ardência ao urinar e corrimento incomum. A manifestação do problema, assim como outros tipos de inflamações, pode gerar secura, pois altera o pH saudável da vagina e a umidade natural.


Faça exames ginecológicos regularmente para o diagnóstico do problema e tratamento. O trato é bastante simples com a indicação de pomadas e se necessário, comprimido oral.


Medicamentos


Alguns medicamentos alteram a flora vaginal, como antibióticos ou mesmo tratamentos quimioterápicos modificam a produção de estrogênio no organismo. Nestes casos a secura na vagina pode ser incidente.


Pílulas anticoncepcionais também alteram a produção de estrogênio no corpo feminino. O receptor do progestagênio é antagonista ao estrogênio e pode dificultar a sua absorção nas células.


Não é uma regra, mas algumas mulheres podem perceber a menor lubrificação após a troca de anticoncepcional ou o consumo de algum medicamento. Consulte o especialista e veja a possibilidade de substituição do método ou indicação de lubrificantes.


Qual o papel da lubrificação vaginal na gravidez?


Mulheres com menor lubrificação, mesmo em período fértil, podem apresentar dificuldade na gravidez. As causas da infertilidade ainda é um tema muito estudado na bancada científica e envolve desde fatores biológicos, até questões socioeconômicas e ambientais.


Por conta da complexidade dos diagnósticos entre os casais que não conseguem engravidar, 36% das situações pertencem a causas desconhecidas.


A lubrificação da vagina além de tornar o ato sexual mais prazeroso, tem um papel importante na fertilidade, uma vez que contribui para passagem do espermatozoide até o colo do útero permitindo o aceso as trompa e fertilização após a liberação do óvulo.


Na ausência do muco cervical todo o processo de reprodução natural é afetado. Os espermatozoides necessitam de um ambiente saudável para se manterem vivos após a ejaculação. Uma vez que o pH vaginal sofre alterações ou apresenta acidez excessiva pode impedir a sobrevivência dos espermatozoides e dificultar a gravidez.


Os lubrificantes vaginais funcionam? Quando é indicado?


Após a investigação do quadro clínico do casal por médicos e especialistas competentes, além da checagem de que não existem outros fatores que possam dificultar a gravidez do casal, a lubrificação pode ser indicada.


Hoje é possível contar com formulações específicas para quem deseja engravidar e o pH ideal para a saúde dos espermatozoides. O Conceive Plus e o Famigel, são alguns exemplos. Consulte sempre o seu médico ginecologista para a indicação e certifique a sua saúde antes de consumir qualquer produto.


 


Veja mais notícias da região no Agência Tocantins

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
Saúde do Corpo

Saúde do Corpo

Blog/coluna Perla Viviane Guimarães
RAPIDINHAS
Postada em 20/02/2019 ás 17h47

UM DESASTRE IMINENTE EM PALMAS

Após a ocorrência de um desastre, seja ele causado pelas forças da natureza ou pela ação humana, sempre aparecem colunistas, especialistas e formadores de opinião pra dizer que a tragédia já dava sinais de acontecer e que poderia ter sido evitada. Todavia, esses formadores de opinião dificilmente alertam a população antes do fato. A própria população afetada é que denuncia o descaso com os riscos, sendo ignorada na maioria das vezes.

Foi assim nos rompimentos das barragens em Minas Gerais, como também nos casos dos deslizamentos de terra, no incêndio do alojamento do Flamengo e em tantos outros desastres que ocorreram no Brasil.

E em Palmas a história se repete, pois está em curso um outro tipo de desastre e esses formadores de opinião mais uma vez dão de ombros frente ao óbvio, mesmo vendo as pessoas emitirem o alerta todos os dias nas redes sociais, nas entrevistas de de TV e em suas reclamações nos bairros e nas ruas.

É o desastre chamado gestão Cinthia Ribeiro. Sim, uma gestão incompetente à frente de uma Capital com 300 mil habitantes pode prejudicar a população muito mais que um incêndio em um prédio ou um desastre natural.

O cenário da capital é de abandono em meio ao matagal nos bairros, as ruas esburacadas, os serviços públicos com queda de qualidade e a saúde jogada às traças, onde o único morador confortável na cidade responde por Aedes Aegypti.

E nessa marcha Cinthia Ribeiro que já é considerada no meio político a pessoa mais ingrata e infiel ao seu partido da história do Tocantins, perdendo inclusive, em materia de traição para Marcelo Miranda, pois este já havia sido eleito pelo voto popular quando empinou a carroça contra Siqueira Campos, agora caminha pra ser a pior gestora que a população de Palmas já conheceu.

Desafortunadamente, os prejuízos materiais e os danos humanos já começaram ser contabilizados e podem evoluir para consequências irreparáveis devido à mà gestão.

Enquanto isso, aqueles colunistas, especialistas e formadores de opinião se calam de 30 mil formas diferentes, invocando até questões de gênero para defender a gestora que pagou com traição a quem lhe deu a mão e está arrasando com a Cidade.

Dessa forma, a Capital antes chamada de “Sua Linda”, levará um tempo depois de 2020 para recuperar sua autoestima e superar o desastre Cinthia Ribeiro.

 

Por Iranilto Sales

Postada em 27/01/2019 ás 01h28

Sobre o caso dos vereadores. Não quero entrar na questão de culpa ou inocência, até porque não cabe a mim esse julgamento, jogar pedra em quem está caído é muito fácil, e se tratando de amigos, um ato de covardia.

Vi no dia de ontem uma enxurrada de xingamentos contra eles, até de pessoas que já foram ajudadas por algum deles; deixo claro, não estou fazendo uma defesa dos supostos atos cometidos, mas quero exaltar o valor empatia, já pensou se fosse um de nós no lugar deles? Já pensou nossa família sofrendo com seu ente querido preso e ainda tendo de suportar essa enxurrada de xingamentos? Vou repetir o que falei acima: jogar pedra em quem está caído é fácil, e se tratando de um amigo, um ato de covardia.

A exposição de suas prisões trouxe sofrimento não só à eles que agora têm que ficar em uma cela de prisão, mas também aos seus familiares. Eles não mereciam passar pelo que passaram, apesar dos pesares, e antes de lançarmos um juízo de valor sobre o caso devemos saber que até agora eles são inocentes até que se prove o contrário, ainda não há um julgamento das autoridades competentes, eles são suspeitos? Sim, mas essa suspeita não nos dar o direito de condená-los. Esse senso de justiça desmedido e irracional não cabe, ou não deveria caber, em nossos dias.

Fica aqui minha solidariedade aos amigos: Antônio Feitosa, Antônio Barbosa, Antônio Queiroz, Ângela do Rapadura, Marcos da Igreja, Luizinha do Itamar, Neguin da Civil, Nildo Lopes, Ozeas Gomes e Vaguin.

 

Keops Mota

Postada em 17/01/2019 ás 15h53

A pergunta que se faz na capital é: quem é mesmo o governador do Tocantins?. Com o protagonismo exacerbado de Wanderlei Barbosa, Mauro Carlesse foi jogado ao ostracismo, lembrado apenas quando ocorre as  inúmeras trapalhadas do governo, onde o povo cai em cima dele com todo tipo de adjetivos, quando, na verdade, o governador de fato é Wanderlei Barbosa. Carlesse é o dono da caneta, mas só escreve o que é ditado por Wanderlei.

Keops Mota

Postada em 31/12/2018 ás 16h00

019 está chegando, e com ele vem também a incerteza de um governo que começou errado (pau que nasce torto nunca se endireita, já disse "cumpade" Washington) com tentativas de obstrução de justiça, aparelhamentos, escândalos e investigações, o que pode tirar do tocantinense a esperança de um ano feliz.

O cenário que se desenha com o governo carlesse é tenebroso, nada auspicioso. Podemos estar entrando (Deus permita que não) no pior momento de nossa história. O viés autoritário desse governo pode se elevar à níveis assustadores. Não tenha isso como um escrito de quem torce pelo pior, mas de um tocantinense preocupado com o futuro. Deus nos proteja.

Postada em 23/12/2018 ás 00h49

O Natal está chegando, e que com ele também venham a união, a paz, a alegria e o gozo de estarmos reunidos com nossa família comemorando o nascimento do maior homem da história: Cristo. Que cada pessoa  deixar brotar em seu coração a semente da paz, plantada pelo ilustre aniversariante. Boas festas. São os votos de: 

 

Keops Mota/Corespondente Agência Tocantins

Facebook
© Copyright 2019 :: Todos os direitos reservados - Agência Tocantins - Contatos: (63) 98500-8112 – Email: [email protected]