OUTUBRO ROSA - ASSEMBLEIA DO TOCANTINS
SEGUNDO TURNO

PT precisa de virada inédita para vencer Bolsonaro no 2º turno

Para quebrar essa tradição, Haddad precisa tirar uma vantagem que no primeiro turno foi de polo menos 17,31% dos votos válidos. Uma “montanha” de mais de 18 milhões de votos.

08/10/2018 16h04Atualizado há 1 ano
Por: Alessandro Ferreira
16.418
Jair Bolsonaro (PSL) , Fernando Haddad (PT) na disputa no segundo turno eleições 2018 - (Foto: Montagem/Agência Tocantins)
Jair Bolsonaro (PSL) , Fernando Haddad (PT) na disputa no segundo turno eleições 2018 - (Foto: Montagem/Agência Tocantins)

O PT precisa de uma virada inédita na história da política brasileira desde a redemocratização para derrotar o candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL). Desde 1989, nenhum candidato que saiu atrás na disputa do segundo turno conseguiu reverter a desvantagem e vencer as eleições presidenciais.

Com 99% das urnas apuradas, Fernando Haddad (PT), foi o segundo candidato mais votado e vai disputar o segundo turno com Bolsonaro. Haddad obteve 30,7 milhões de votos o equivalente a 28,9% dos votos válidos. Bolsonaro, por sua vez, recebeu 49 milhões de votos o equivalente a 46,2% dos votos válidos.

Para quebrar essa tradição, Haddad precisa tirar uma vantagem que no primeiro turno foi de polo menos 17,31% dos votos válidos. Uma “montanha” de mais de 18 milhões de votos.

O cientista político e professor André Borges, da UnB (Universidade de Brasília), explica que, em geral, as viradas em segundo turno são mais difíceis porque elas normalmente se dão entre candidato governista e um de oposição.

“Na maior parte das vezes, os candidatos que chegam ao primeiro turno na frente são aqueles de candidaturas governistas. Por terem o apoio do governo, a tendência é que seja mais difícil reverter um resultado no segundo turno”, Afirmou.

Borges diz, no entanto, que as eleições presidenciais deste ano são extremamente atípicas e que uma virada, ainda que muito difícil, não é impossível.

“Apesar de Bolsonaro estar em primeiro lugar, ele continua sendo um azarão nessa disputa. Ele está em um partido pequeno com uma equipe que tem pouca experiência em eleições. Além disso, ele vai enfrentar um partido que venceu todas as disputas desde  2002. A virada é difícil, mas não é impossível que aconteça”, Afirmou.

Borges acredita que, no segundo turno, o PT deverá explorar as altas taxas de rejeição de Bolsonaro se quiser reverter a vantagem do primeiro.

“Bolsonaro foi poupado de ataques durante parte da disputa por conta do atentado que ele sofreu. Agora, ele não será mais poupado. Esse segundo turno deverá ter muita campanha negativa e as contradições dele, assim como as do Haddad, deverão ser exploradas”, Explicou.

Seis segundos turnos desde 1989

Desde o fim da ditadura militar que governou o Brasil entre 1964 e 1985, o Brasil teve oito eleições presidenciais. Dessas, seis foram para o segundo turno (1989, 2002, 2010, 2014 e 2018).

Desse período, o candidato que ficou mais perto de virar a disputa foi o ex-senador e deputado federal eleito por Minas Gerais Aécio Neves (PSDB).

Em 2014, ele chegou ao segundo turno com 3,5% dos votos válidos, enquanto Dilma Russeff (PT) tinha 41,59%  - nesse ano, ela não conseguiu se eleger senadora por Minas Gerais, perdendo para Rodrigo Pacheco (DEM) e Carlos Viana (PHS).

No segundo turno, depois de obter  o apoio de Marina Silva, então PSB, Aécio obteve 48,36% dos votos válidos, contra 51,64% de Dilma Russeff, uma diferença de pouco mais de 3% dos votos válidos.  

  

Veja mais notícias da região no Agência Tocantins 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Palmas - TO
Atualizado às 22h01
25°
Nuvens esparsas Máxima: 34° - Mínima: 23°
25°

Sensação

6.1 km/h

Vento

83%

Umidade

Fonte: Climatempo
Anúncio
Anúncio
Municípios
Anúncio
Últimas notícias
Anúncio
Mais lidas
CAMPANHA PRESENÇA DIGITAL - OUTUBRO
BANNER AVECOM