Quinta, 24 de janeiro de 2019
63 98500 8112
Brasil

20/10/2018 às 20h07 - atualizada em 21/10/2018 às 12h36

1.016

Ismeni Lima de Moura

Pamas / TO

Falta de amor próprio e o autoabandono
Autoabandono na relação a dois
Falta de amor próprio e  o autoabandono

Tenho visto que, de um modo geral, as pessoas vivem em busca de aceitação, querem se sentir amadas, admiradas, apreciadas e cuidadas por outrem como condição para o contentamento e a felicidade. No entanto, querer ser aceito sem primeiro aceitar a si mesmo, é como construir uma casa sem alicerce, ou seja, não haverá sustentabilidade e acabará por ser desmoronada com as inevitáveis pressões que virão sobre ela. O amor próprio é o fio condutor de toda e qualquer relação bem sucedida, condição fundamental e indispensável para uma conexão saudável nas relações afetivas e sociais.


Muitas vezes, na busca por aceitação nos abandonamos, damos poder demais ao outro, e em contrapartida, nos rebaixamos na mesma proporção, abrindo mão da nossa capacidade de autorrealização.


É preciso entender que, para estarmos bem conosco mesmo, e consequentemente com o outro, será necessário: trabalho interno, ultrapassar limites emocionais e abrir mão de crenças limitantes, ou nunca conheceremos o nosso verdadeiro potencial e valor. O amor nunca deve ser cobrado ou exigido, e sim conquistado, quando o exigimos através de ameaças e de chantagens imaturas, revelamos a falta de fé em nós mesmos, perde a sua essência que se encontra na voluntariedade, na espontaneidade e na doação.


O autoabandono acontece quando tiramos de nós a responsabilidade de nos cuidarmos e nos relacionarmos de maneira digna com a totalidade do nosso ser, onde passamos a viver em um lugar de isolamento emocional, que não é necessariamente o afastamento do convívio social, mas sim o isolamento de nós mesmos.  É de fato um perigoso lugar para se estar. Tudo que é abandonado não tem vida, fica empoeirado e desbotado com o tempo, não é nem um pouco atrativo e dificulta muito o desejo e a alegria do outro de se fazer presente e compartilhar de si mesmo.


O desleixo é apenas uma pequena evidência dos maus-tratos que provocamos em nós quando nos rejeitamos. Estabelecemos então um ciclo perigoso e vicioso, quanto menos atenção do alvo de afeto maior o autoabandono, consequentemente, menos interessantes e mais sozinhos ficamos. Definitivamente as pessoas não desejam se relacionar conosco por piedade ou por serem pressionadas. Ninguém gosta do que não é cuidado, é no mínimo um paradoxo, culpamos o outro por não manifestar atitudes de zelo, de admiração e de amor para conosco, uma vez que esta é a nossa principal responsabilidade. Quem não consegue cuidar de si mesmo, emocionalmente, fisicamente e espiritualmente, não está em condições de cuidar de uma relação a dois. Quem não se ama, não se valoriza e não se cuida, não pode esperar os mesmos predicados de uma segunda pessoa, é impor sobre o ombro alheio um pesado fardo.


Ninguém nunca alcançou a felicidade dependendo de alguém, muito pelo contrário, o dependente se torna pegajoso, inseguro e acaba por frustrar o relacionamento.


Quem se ama sabe do valor que tem e ao estar ciente disso, não se sujeitará a migalhas de afeto. Estar em condições de viver em plenitude consigo mesmo, compreendendo que é uma pessoa especial demais para viver em função da atenção de outra, certamente haverá objetivos mais relevantes na vida.


À medida que fazemos de nós mesmos nossa melhor e principal companhia, haverá um fluir natural onde atrairemos o respeito de quem nos cerca e afastaremos aqueles que não têm muito a nos oferecer.


Nesse caso, ficará somente quem estiver a altura de usufruir do maravilhoso senso de dignidade, valor e amor próprio que emana de dentro de nós. Tudo começa em nós e é preciso entender que a autorresponsabilidade é o caminho mais seguro para a felicidade e satisfação interior. Não podemos transferir para o outro o que só nós mesmos estamos em condições de fazer. Não sejamos vítimas, sejamos autores da nossa história, vivendo-a em plenitude, com ou sem alguém do lado.


Não nos esqueçamos da infalível e imensurável sabedoria expressa no livro sagrado, que diz: “amar ao próximo como a ti mesmo”. Podemos compreender que, sem a dignidade e acolhimento que se faz presente na experiência de nos amarmos em toda nossa totalidade e verdades, jamais poderemos vivenciar a grandeza  de amar e ser amado em sua essência.


 


Ismeni Moura

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
Espaço Gospel

Espaço Gospel

Blog/coluna Tudo sobre o espaço gospel local em um só lugar!
RAPIDINHAS
Postada em 17/01/2019 ás 15h53

A pergunta que se faz na capital é: quem é mesmo o governador do Tocantins?. Com o protagonismo exacerbado de Wanderlei Barbosa, Mauro Carlesse foi jogado ao ostracismo, lembrado apenas quando ocorre as  inúmeras trapalhadas do governo, onde o povo cai em cima dele com todo tipo de adjetivos, quando, na verdade, o governador de fato é Wanderlei Barbosa. Carlesse é o dono da caneta, mas só escreve o que é ditado por Wanderlei.

Keops Mota

Postada em 31/12/2018 ás 16h00

019 está chegando, e com ele vem também a incerteza de um governo que começou errado (pau que nasce torto nunca se endireita, já disse "cumpade" Washington) com tentativas de obstrução de justiça, aparelhamentos, escândalos e investigações, o que pode tirar do tocantinense a esperança de um ano feliz.

O cenário que se desenha com o governo carlesse é tenebroso, nada auspicioso. Podemos estar entrando (Deus permita que não) no pior momento de nossa história. O viés autoritário desse governo pode se elevar à níveis assustadores. Não tenha isso como um escrito de quem torce pelo pior, mas de um tocantinense preocupado com o futuro. Deus nos proteja.

Postada em 23/12/2018 ás 00h49

O Natal está chegando, e que com ele também venham a união, a paz, a alegria e o gozo de estarmos reunidos com nossa família comemorando o nascimento do maior homem da história: Cristo. Que cada pessoa  deixar brotar em seu coração a semente da paz, plantada pelo ilustre aniversariante. Boas festas. São os votos de: 

 

Keops Mota/Corespondente Agência Tocantins

Postada em 24/11/2018 ás 14h37

A coisa está ficando insustentável. Com o governo sofrendo investigações e seus aliados envolvidos em escândalos que vai de depósito ilegal de resíduos hospitalares à apologia à pedófilia, a única saída possível e honrosa diante de tanto descalabro, que só tende a aumentar, é a cassação.

Não podemos estar sob as ordens de um governo que está moralmente abaixo de nós. As denúncias de obstrução de Justiça, concessão de contrato sem licitação para uma empresa da família de um aliado que culminou em um crime ambiental e denúncia por supostos crimes eleitorais já são fatos suficientes para que não tenhamos esse governo como legítimo.

 

Keops Mota

Postada em 08/11/2018 ás 12h55

Carlesse mente

Mauro valesse queria apenas poder sobre os bois e idiotas do Tocantins.

Depois de eleito Mauro Carlesse se tornou soberbo e arrogante e recebe apenas pessoas ligadas ao agrobusiness.

Valesse não é aquele homem humilde e correto que imaginávamos,Ele é um lobo branco disfarçado de ovelha e ao que parece será bem pior que Marcelo Miranda e não vai se sustentar no poder.

Mauro Carlesse prometeu defender e respeitar os funcionários públicos perseguidos e humilhados por Marcelo Miranda,e quando chegou ao poder virou as costas para os humildes e dá ouvidos apenas a deputados que compraram votos por 500 mil.

Mauro Carlesse nada faz pela segurança falida do Tocantins e virou suas costas largas para a saúde ferida dos tocantinenses.

Mauro Carlesse ficou neutro surdo burro e mudo quanto a Bolsonaro,e agora quer ser beneficiado.Quem é Mauro Carlesse? AINDA SABEREMOS.

Facebook
© Copyright 2019 :: Todos os direitos reservados - Agência Tocantins - Contatos: (63) 98500-8112 – Email: [email protected]