Terça, 11 de dezembro de 2018
63 98500 8112
Especiais

19/11/2018 às 20h48 - atualizada em 19/11/2018 às 21h00

1.042

Alessandro Ferreira | Redação

PALMAS / TO

Dia da Bandeira é comemorado por unidades militares no Tocantins
Excepcionalmente, no dia 19 de novembro o hasteamento ocorre em cerimônia especial às 12 horas, que inclusive contempla a incineração de bandeiras que estejam em más condições.
Dia da Bandeira é comemorado por unidades militares no Tocantins

Nesta data, dia 19 de novembro, comemora-se o Dia da Bandeira, um elemento simbólico da identidade brasileira, também conhecida como Pavilhão Nacional. As unidades militares hasteiam e arriam a Bandeira Nacional normalmente às 08 e 18 horas.


Excepcionalmente, no dia 19 de novembro o hasteamento ocorre em cerimônia especial às 12 horas, que inclusive contempla a incineração de bandeiras que estejam em más condições. 


Para comemorar a data festiva, o 1º, 2º, 4º e 9º Batalhão da Polícia Militar (Palmas, Araguaína, Gurupi e Araguatins) e o Colégio da PM, Unidade II (Ensino Médio), localizado em Palmas, realizaram uma solenidade às 12 horas.  Na ocasião, os alunos do Colégio da PM em Araguatins participaram da solenidade que aconteceu na sede do 9º Batalhão. 


O Dia da Bandeira foi instituído em 1889, após a Proclamação da República que aclamou os símbolos nacionais: a Bandeira, o Hino Nacional, o Selo Nacional e as Armas Nacionais, que são objetos de estudo no ensino fundamental. Tais símbolos agregam o patriotismo e o sentimento de pertencimento à nação.


 


A maior Bandeira Nacional se encontra hasteada na Praça dos Três Poderes, no Distrito Federal, com 286 metros quadrados e peso de 90 quilos. 


1º BPM 


No quartel do 1º Batalhão em Palmas, o major Ivaneis, o oficial mais antigo e o subtenente Werlen, a praça mais antiga, hastearam o Pavilhão Nacional e a bandeira do Tocantins respectivamente.


 


Posteriormente o Capitão Jair conduziu à Pira, as bandeiras a serem incineradas no ato, as quais foram queimadas pelo subtenente Werlen. Durante a incineração, foi executado o Hino à Bandeira, letra de Olavo Bilac e música de Francisco Braga. 


Ao final da solenidade, o major Leandro Guimarães Nunes, Comandante do 1° BPM, fez uso da palavra e relembrou o potencial de crescimento do nosso país, bem como inspirou a tropa acerca da importância de lutar pela pátria. 


2º BPM 


Em Araguaína, a cerimônia aconteceu no pátio do quartel do 2º Batalhão de Polícia Militar, onde a Bandeira Nacional recebeu dos policiais militares o devido culto cívico. O tenente-coronel João Márcio Costa Miranda, comandante do 2º BPM foi a autoridade máxima que prestigiou a solenidade, coordenando pessoalmente todo o desenvolvimento das honras militares. 


Foi realizado o hasteamento do Pavilhão Nacional, a leitura de um histórico em homenagem a Bandeira Nacional e a incineração de um exemplar da bandeira já bastante gasto e danificado pelo uso. O subtenente Cláudio Barros de Brito, policial militar com maior tempo de serviço na Unidade Militar e no excepcional comportamento teve o privilégio de realizar a incineração. 


“Me senti imensamente honrado por ter recebido essa ilustre missão, tão nobre, que exalta o respeito, consideração e amor à Bandeira da nossa Nação”. Disse subtenente Cláudio, muito honrado por ter participado diretamente da homenagem à Bandeira Nacional. O tenente-coronel Miranda ressaltou a importância de se manter a devida reverência, respeito e carinho ao símbolo máximo da Nação. “Sempre manteremos acesa a chama de respeito e reverência cívica a nossa Bandeira”, concluiu o comandante. 


9º BPM 


Na cidade de Araguatins, o comandante do 9º Batalhão da PM, major Weslley Dias Costa, realizou a cerimônia de incineração da Bandeira. O evento foi no pátio do quartel. A solenidade contou com a presença do diretor do Colégio da Polícia Militar (CPM) Unidade VI, major Márcio Cardoso Almeida, acompanhado de alguns alunos. 


Na solenidade de incineração da Bandeira, os militares do Batalhão e os alunos do CPM tomaram posição de reverência e respeito. Foi realizado o hasteamento do Pavilhão Nacional e em seguida a cerimônia de incineração. A solenidade militar foi comandada pelo major Weslley Dias. 


Ao final da cerimônia, o Comandante do 9º BPM, major Weslley Dias, agradeceu a presença de todos e destacou a importância do evento para o militarismo, bem como, o motivo da incineração e as formalidades exigidas para o ato. Major Weslley finalizou destacando sobre questões relativas ao patriotismo e respeito aos símbolos nacionais. 


BPChoque 


No quartel do Batalhão de Polícia de Choque da PM, em Palmas, o comandante da unidade, major Adão Pereira e o subtenente Geraldo, o oficial e praça mais antigo da unidade, respectivamente, hastearam o Pavilhão Nacional e a bandeira do Tocantins ao meio dia. 


Posteriormente o Sargento Irisberto conduziu à Pira, as bandeiras a serem incineradas no ato, de acordo com a previsão legal para o Dia da bandeira. Após o momento solene, as bandeiras inservíveis foram queimadas pelo subtenente Graldo. Foi executado o Hino à Bandeira, durante a queima das bandeiras inservíveis. 


O Comandante da Unidade enalteceu os valores cívico-militares e destacou a importância de se preservarem as solenidades, como forma de perpetuar as tradições históricas e casernais. 


2ª CIPM 


Na cidade de Dianópolis, sede da 2ª Companhia Independente da Polícia Militar, o major Cavalcante, o capitão Ielison e o tenente Aílton procederam o hasteamento do Pavilhão Nacional e demais bandeiras, sob o cântico do Hino Nacional Brasileiro. Em seguida, o tenente Abreu procedeu com uma mensagem sobre a data comemorativa, relembrando particularidades do maior Símbolo Nacional. 


O sargento Araújo, praça mais antiga da Unidade presente na solenidade procedeu a incineração das bandeiras na Pira. Durante a incineração, a tropa da 2ª CIPM entoou o cântico do Hino à Bandeira. 


Ao término da solenidade o major Denyure de Menezes Cavalcante, comandante da 2ª CIPM, fez uso da palavra e ressaltou a importância  do resgate ao culto das tradições e valores nacionais como pressuposto para consolidação da Nação. 


CPM 


O Colégio da Polícia Militar do Estado do Tocantins – Unidade II (ensino médio) em Palmas também realizou a Solenidade em homenagem ao Dia da Bandeira.O momento foi organizado e promovido pela Coordenação Disciplinar da Unidade Escolar e contou com a participação do subdiretor capitão Vitor Oliveira Santos Rocha Teles, da capitã Joseline Rios Ferreira, coordenadora pedagógica, da tenente Louise Martins Alcanfor, coordenadora disciplinar e do subtenente Denny Souto Ribeiro, chefe do corpo de alunos, além de professores, demais servidores do colégio e alunos.Após a apresentação do CPMTO-Unidade II feita pelo aluno CPM Fiscal William Lopes, turma 34.04 ao senhor subdiretor, coube ao subtenente Hilton José Ribeiro Coelho realizar a incineração da Bandeira Nacional inservível, em respeito ao Art. 32 da lei nº 5.700, de 1º de setembro de 1971.


O momento foi realizado sob os acordes da Banda de Música do CPMTO-Unidade II, regido pelo Maestro e Instrutor subtenente Nivacy Alves Marçal.


 


Veja mais notícias da região no Agência Tocantins

Clique nas imagens abaixo para ampliar:
O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
RAPIDINHAS
Postada em 24/11/2018 ás 14h37

A coisa está ficando insustentável. Com o governo sofrendo investigações e seus aliados envolvidos em escândalos que vai de depósito ilegal de resíduos hospitalares à apologia à pedófilia, a única saída possível e honrosa diante de tanto descalabro, que só tende a aumentar, é a cassação.

Não podemos estar sob as ordens de um governo que está moralmente abaixo de nós. As denúncias de obstrução de Justiça, concessão de contrato sem licitação para uma empresa da família de um aliado que culminou em um crime ambiental e denúncia por supostos crimes eleitorais já são fatos suficientes para que não tenhamos esse governo como legítimo.

 

Keops Mota

Postada em 08/11/2018 ás 12h55

Carlesse mente

Mauro valesse queria apenas poder sobre os bois e idiotas do Tocantins.

Depois de eleito Mauro Carlesse se tornou soberbo e arrogante e recebe apenas pessoas ligadas ao agrobusiness.

Valesse não é aquele homem humilde e correto que imaginávamos,Ele é um lobo branco disfarçado de ovelha e ao que parece será bem pior que Marcelo Miranda e não vai se sustentar no poder.

Mauro Carlesse prometeu defender e respeitar os funcionários públicos perseguidos e humilhados por Marcelo Miranda,e quando chegou ao poder virou as costas para os humildes e dá ouvidos apenas a deputados que compraram votos por 500 mil.

Mauro Carlesse nada faz pela segurança falida do Tocantins e virou suas costas largas para a saúde ferida dos tocantinenses.

Mauro Carlesse ficou neutro surdo burro e mudo quanto a Bolsonaro,e agora quer ser beneficiado.Quem é Mauro Carlesse? AINDA SABEREMOS.

Postada em 22/10/2018 ás 22h02

O Estado do Tocantins terá que promover demissões em massa se quiser se enquadrar na LRF. Carlesse estará entre deixar os contratos dos deputados e reorganizar as contas públicas]

Um levantamento publicado na Folha de São Paulo feito pela ex-secretária da fazenda de Goiás, Ana Carla Abraão, e com base nos dados do Tesouro Nacional e dos entes da Federação dá conta de que o Tocantins gasta com pessoal 71,4% de toda a sua receita.

Há alguns dias o governo do Estado havia dito que que o gasto com a folha de pagamento chega a um pouco mais 58%. Mas conforme o levantamento publicado na Folha de São Paulo esse número pode estar sendo maquiado, pois, segundo a reportagem, o gestor não considera alguns gastos como receitas com despesas com pensões, obrigações patronais e auxílios, o que coloca esse número muito mais acima do divulgado.

O Tocantins está à beira do abismo; somente uma reforma estrutural de proporções gigantescas pode tirá-lo desse precipício. Mas reduzir a folha de pagamento também implica em mexer com interesses políticos dos deputados estaduais. Os acordos firmados no período eleitoral coloca o governador Mauro Carlesse em uma verdadeira sinuca de bico, de um lado os antigos aliados que lutarão para manter seus contratos, e de outro os que vieram depois que lutarão para colocar os seus.

Com mais de 71% das receitas comprometidas com a folha de pagamento já estamos perto do caos, se ceder às pressões dos deputados e aliados políticos o caos irá nos engolir, por outro lado se agir com responsabilidade e promover demissões e não contratar tão cedo, o governador irá retomar o caminho do desenvolvimento, o Tocantins se tornará um canteiro de obras e teremos pleno emprego. Se tomar a segunda decisão possa ser que os deputados se sintam traídos e tentem boicotar o governador na AL/TO.

O Governador está entre a cruz e a espada.

Postada em 06/10/2018 ás 17h46

Amanhã iremos às urnas para decidir quem será nosso o proximo  governador,  2 Senadores,  8 Deputados Federais e 24 Deputados Estaduais. Temos que escolher bem, para que não possamos cair novamente em outra onda de instabilidade.  Ainda não nos recuperamos da primeira, logo veio outra e não podemos correr o risco de termos uma terceira, que será o decreto do fim do Estado do Tocantins, por isso, é imprescindível que você antes de digitar os números de seus candidatos pense no futuro do seu filho.

Postada em 29/09/2018 ás 09h30

O Tocantins está caindo em mais uma insegurança política e jurídica. Será a terceira vez que um governador é cassado no Tocantins: duas vezes com Marcelo Miranda e uma provável com Carlesse.

Os crimes que cassaram Marcelo Miranda e podem cassar Carlesse são os mesmos: abuso de poder econômico e político. Essas inseguranças jurídicas e políticas ocasionadas pelo desejo do poder pelo poder causam um mal ao tocantinense de bem, empresas fogem do Estado, desemprego aumenta e a miséria se alastra em solos tocantinenses.

Não aguentamos mais uma cassação, isso será o decreto do fim do Tocantins. Dia 7 de Outubro não pense no agora, pense no futuro, e no desgaste que um mandato interrompido causa. Precisamos de melhorar a economia do Tocantins para melhorar a vida do tocantinense, Carlesse com essa insegurança jurídica não garante isso.

 

Kelps Mota

Facebook
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados - Agência Tocantins - Contatos: (63) 98500-8112 – Email: [email protected]