SINDICATOS

Sindicatos e associações se unem e querem a suspensão da medida provisória que congelou os direitos dos servidores

O presidente do SISEPE-TO esclarece que o governo do Estado criou uma câmara técnica para estudar o pagamento de passivos, porém antes é preciso pagar os direitos garantidos por lei aos servidores públicos.

07/02/2019 20h56Atualizado há 7 meses
Por: Alessandro Ferreira | Redação
304
Divulgação
Divulgação

O governo do Estado não apresentou nenhum dado que justifique o congelamento dos direitos dos servidores públicos por 30 meses durante a reunião, ocorrida na manhã de hoje (07), no Palácio Araguaia. Na presença de cerca de 20 sindicatos e associações, que representam os servidores civis e militares do Executivo estadual, o secretário-chefe da Casa Civil, Rolf Vidal, e o secretário estadual da Administração (Secad), Edson Cabral, não se posicionaram sobre mudanças na Medida Provisória nº 2.

O Sindicato dos Servidores Públicos no Estado do Tocantins (SISEPE-TO), juntamente com outros representantes classistas, pediu a retirada da MP da Assembleia Legislativa para negociação com os representantes dos servidores. "O governo não apresentou nenhum proposta concreta de mudança da MP nº 2, mas continuaremos buscando uma alteração e que seja feito um calendário de pagamento das progressões que os servidores já têm direito", frisa o presidente do SISEPE-TO, Cleiton Pinheiro.

Pinheiro detalha que o prazo de 30 meses de suspensão das progressões deverá ser reduzido para 12. Já o direito adquirido até 31 de janeiro deste ano pelos servidores referente às progressões, Pinheiro cobra o Executivo para que faça um calendário de pagamento dentro do exercício de 2019 e apresente aos sindicatos e associações. "Mas o governo não abriu nenhum passo para se negociar um calendário para implementação das progressões, já devidas aos servidores públicos."

O presidente do SISEPE-TO esclarece que o governo do Estado criou uma câmara técnica para estudar o pagamento de passivos, porém antes é preciso pagar os direitos garantidos por lei aos servidores públicos.

Próximos passos

"Queremos garantir na Assembleia Legislativa que seja feita essas mudanças na MP 2 e que os representantes dos servidores públicos sejam ouvidos", ressalta Pinheiro. Os sindicatos e associações se reúnem agora, às 14 horas, no Sindicato dos Trabalhadores em Educação no Estado do Tocantins (Sintet), para discutir as próximas ações. “Cabe aos sindicatos e associações se manterem unidos e articular, juntamente com os servidores públicos, os deputados estaduais para reverem a MP nº 2”, destaca Pinheiro.

 

Envie vídeos, fotos e sugestões de pauta para a redação do Agência Tocantins no (63) 9 8500-8112

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Palmas - TO
Atualizado às 00h40
26°
Poucas nuvens Máxima: 38° - Mínima: 22°
26°

Sensação

20.4 km/h

Vento

30.7%

Umidade

Fonte: Climatempo
G&H CLEAN – SERVIÇOS DE LIMPEZA
CAMPANHA DIREITOS E DEVERES
Municípios
Últimas notícias
AUTO ESCOLA UNIÃO 300X250
Mais lidas
BANNER MARRONY