domingo, 17 de fevereiro de 2019
63 98500 8112
Educação

09/02/2019 às 09h25

149

Redação

Palmas / TO

Troca de experiências marca primeira semana de atividades nas escolas de ensino médio integral
A presença dos jovens protagonistas pernambucanos foi um diferencial no acolhimento dos alunos tocantinenses neste início de ano letivo.
Troca de experiências marca primeira semana de atividades nas escolas de ensino médio integral
Jovens protagonistas, egressos do ensino integral de Pernambuco participaram do acolhimento nas Escolas Jovem em Ação – Foto: Divulgação

Quem é que não gosta de ser bem recebido? Nas escolas estaduais de ensino médio integral, os alunos foram recepcionados em clima de festividade nesta primeira semana do ano letivo de 2019. Teve tapete vermelho, chuva de pétalas e muita animação nas 22 unidades escolares que irão desenvolver o programa Escola Jovem em Ação neste ano.  Mas, nem só os alunos ganharam festa. O acolhimento também foi estendido aos pais dos estudantes, professores e demais servidores destas escolas.


Nas 12 escolas que já desenvolviam o programa, foram os estudantes veteranos que receberam os alunos da 1ª série do ensino médio. Já nas 10 novas escolas que iniciaram as atividades do Jovem em Ação neste ano, o acolhimento foi realizado por estudantes egressos do programa de Pernambuco e por alunos de outras unidades do Jovem em Ação do Tocantins.


A presença dos jovens protagonistas pernambucanos foi um diferencial no acolhimento dos alunos tocantinenses neste início de ano letivo. Durante as atividades, os egressos deste modelo de ensino relataram suas experiências com o ensino em tempo integral e desenvolveram ações para despertar nos estudantes o protagonismo proposto pelas Escolas Jovem em Ação.


“Achei bastante interessante este projeto e muito bom ele ter vindo para Porto Nacional. Pensei que iria chegar 7h da manhã na escola, me deparar com várias matérias e passar o dia todo só vendo conteúdo. Mas não é só isso. A gente aprende muita coisa, mas têm outros momentos que nos possibilitam outras formas de conhecimento”,  destacou Ana Clara Miranda, aluna da 3ª série do Centro de Ensino Médio Félix Camoa, de Porto Nacional.


Também do CEM Félix Camoa, Sarah Bastos aprovou a iniciativa e as atividades propostas pelos jovens de Pernambuco, Estado que é referência no ensino médio em Tempo Integral. “Adorei a equipe, principalmente. Socializaram muito bem com a gente. Achei que iam começar as aulas, normalmente, e que os professores que iriam nos receber. Mas foram vocês que nos acolheram e eu adorei esse acolhimento. Foi muito bom”, disse aos ex-alunos convidados para o acolhimento.


Conforme o especialista em gestão da equipe de implantação do Jovem em Ação no Tocantins, Leandro Vieira, a atividade visa acolher de forma calorosa os novos alunos. “O acolhimento é um marco na vida dos que ingressam na escola. Com esse gesto, queremos demonstrar, desde os primeiros dias, a importância de cada pessoa no processo de construção e autodesenvolvimento, além de garantir a troca de experiências e integração entre estudantes, pais, professores e demais servidores”, afirmou.


No acolhimento aos pais e responsáveis, a equipe escolar apresentou, de forma mais detalhada, a proposta pedagógica do Jovem em Ação, a fim de envolver a família no sentido de viabilizar e potencializar a aprendizagem dos estudantes. Os pais e responsáveis também foram orientados quanto ao estabelecimento da rotina e condições de estudos, dentro e fora da unidade escolar.


Em Taguatinga, o Colégio Estadual Professor Aureliano promoveu o acolhimento de aproximadamente 160 alunos das turmas do Ensino Médio em tempo  Integral. Como este é o primeiro ano de atuação da escola na modalidade, o acolhimento foi realizado por jovens de Pernambuco, egressos do mesmo programa, e por estudantes  protagonistas do Centro de Ensino Médio Antônio Póvoa, de Dianópolis, uma das primeiras unidades contempladas com o Jovem em Ação, em 2017.


Taynam Rochelle França da Silva, uma das jovens protagonistas de Pernambuco, falou aos novos alunos sobre os diferenciais do Jovem em Ação , que visa não só acolher, mas acompanhar e orientar os estudantes nas decisões para a vida. “Tenho certeza que, nesta semana, transmitimos algo de novo a vocês, e vocês a nós. Então, nunca estaremos sozinhos nesta caminhada, este é diferencial do programa”, disse.


Segundo a diretora da escola de Taguatinga, Anarly Cordeiro do Prado, esta primeira semana de atividades foi de “extrema importância para envolver a comunidade escolar, possibilitando às famílias, conhecerem melhor o programa como parte desse projeto que vai beneficiar os alunos, os servidores e a cidade como um todo”, afirmou.


Escola Jovem em Ação


O programa de fomento do ensino médio integral é uma iniciativa Federal que no Tocantins é denominada como Escola Jovem em Ação, e as escolas passam a receber investimentos em infraestrutura, formação e monitoramento. A ampliação do projeto este ano ocorreu em função dos excelentes resultados do trabalho desenvolvido pelo Tocantins em 2018. Com isso, o Estado passa a contar com 22 unidades de ensino médio nesta modalidade com capacidade para atender cerca de 6.700 estudantes em 14 municípios.


O programa oferece ainda a flexibilização do currículo, desenvolvimento de ações condizentes com os interesses e contexto dos estudantes. Estão entre os diferenciais do modelo o incentivo ao protagonismo juvenil, além da elaboração e acompanhamento do projeto de vida dos estudantes.


Escolas


Até o ano passado, ofertavam esta modalidade as seguintes unidades escolares: Escola Estadual Darcy Marinho, em Tocantinópolis;  Escola Estadual Rui Barbosa,  CEM Benjamim José de Almeida e CEM Paulo Freire, em Araguaína; CEM Presidente Castelo Branco, em Colinas;  CEM Oquerlina Torres, em Guaraí; CEM Dona Filomena Moreira de Paula, em Miracema;  Escola Estadual Professora Elizangela Glória Cardoso e Colégio da Polícia Militar, em Palmas; CEM Bom Jesus, em Gurupi;  CEM Antônio Póvoa, em Dianópolis;  e CEM Joana Batista Cordeiro, em Arraias.  A partir de 2019, está implantado também no  Colégio Estadual Buriti, em Buriti do Tocantins; Colégio Estadual Manoel Vicente Souza, em  Augustinópolis; CEM Castelo Branco, em Araguaína; Colégio Estadual Presidente Tancredo Neves, em Barrolândia; Colégio Estadual São José e CEM Santa Rita de Cássia, em Palmas; CEM Félix de Camoa, em Porto Nacional;  CEM de Gurupi; CEM Professor Aureliano, em Taguatinga e Escola Estadual Padrão, em Brejinho De Nazaré.


Envie vídeos, fotos e sugestões de pauta para a redação do Agência Tocantins no (63) 9 8500-8112

Clique nas imagens abaixo para ampliar:
O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
RAPIDINHAS
Postada em 27/01/2019 ás 01h28

Sobre o caso dos vereadores. Não quero entrar na questão de culpa ou inocência, até porque não cabe a mim esse julgamento, jogar pedra em quem está caído é muito fácil, e se tratando de amigos, um ato de covardia.

Vi no dia de ontem uma enxurrada de xingamentos contra eles, até de pessoas que já foram ajudadas por algum deles; deixo claro, não estou fazendo uma defesa dos supostos atos cometidos, mas quero exaltar o valor empatia, já pensou se fosse um de nós no lugar deles? Já pensou nossa família sofrendo com seu ente querido preso e ainda tendo de suportar essa enxurrada de xingamentos? Vou repetir o que falei acima: jogar pedra em quem está caído é fácil, e se tratando de um amigo, um ato de covardia.

A exposição de suas prisões trouxe sofrimento não só à eles que agora têm que ficar em uma cela de prisão, mas também aos seus familiares. Eles não mereciam passar pelo que passaram, apesar dos pesares, e antes de lançarmos um juízo de valor sobre o caso devemos saber que até agora eles são inocentes até que se prove o contrário, ainda não há um julgamento das autoridades competentes, eles são suspeitos? Sim, mas essa suspeita não nos dar o direito de condená-los. Esse senso de justiça desmedido e irracional não cabe, ou não deveria caber, em nossos dias.

Fica aqui minha solidariedade aos amigos: Antônio Feitosa, Antônio Barbosa, Antônio Queiroz, Ângela do Rapadura, Marcos da Igreja, Luizinha do Itamar, Neguin da Civil, Nildo Lopes, Ozeas Gomes e Vaguin.

 

Keops Mota

Postada em 17/01/2019 ás 15h53

A pergunta que se faz na capital é: quem é mesmo o governador do Tocantins?. Com o protagonismo exacerbado de Wanderlei Barbosa, Mauro Carlesse foi jogado ao ostracismo, lembrado apenas quando ocorre as  inúmeras trapalhadas do governo, onde o povo cai em cima dele com todo tipo de adjetivos, quando, na verdade, o governador de fato é Wanderlei Barbosa. Carlesse é o dono da caneta, mas só escreve o que é ditado por Wanderlei.

Keops Mota

Postada em 31/12/2018 ás 16h00

019 está chegando, e com ele vem também a incerteza de um governo que começou errado (pau que nasce torto nunca se endireita, já disse "cumpade" Washington) com tentativas de obstrução de justiça, aparelhamentos, escândalos e investigações, o que pode tirar do tocantinense a esperança de um ano feliz.

O cenário que se desenha com o governo carlesse é tenebroso, nada auspicioso. Podemos estar entrando (Deus permita que não) no pior momento de nossa história. O viés autoritário desse governo pode se elevar à níveis assustadores. Não tenha isso como um escrito de quem torce pelo pior, mas de um tocantinense preocupado com o futuro. Deus nos proteja.

Postada em 23/12/2018 ás 00h49

O Natal está chegando, e que com ele também venham a união, a paz, a alegria e o gozo de estarmos reunidos com nossa família comemorando o nascimento do maior homem da história: Cristo. Que cada pessoa  deixar brotar em seu coração a semente da paz, plantada pelo ilustre aniversariante. Boas festas. São os votos de: 

 

Keops Mota/Corespondente Agência Tocantins

Postada em 24/11/2018 ás 14h37

A coisa está ficando insustentável. Com o governo sofrendo investigações e seus aliados envolvidos em escândalos que vai de depósito ilegal de resíduos hospitalares à apologia à pedófilia, a única saída possível e honrosa diante de tanto descalabro, que só tende a aumentar, é a cassação.

Não podemos estar sob as ordens de um governo que está moralmente abaixo de nós. As denúncias de obstrução de Justiça, concessão de contrato sem licitação para uma empresa da família de um aliado que culminou em um crime ambiental e denúncia por supostos crimes eleitorais já são fatos suficientes para que não tenhamos esse governo como legítimo.

 

Keops Mota

Facebook
© Copyright 2019 :: Todos os direitos reservados - Agência Tocantins - Contatos: (63) 98500-8112 – Email: [email protected]