TRIBUNAL DO JÚRI

Suspeito de matar taxista em Palmas vai a júri popular após quatro anos do crime

Na época, o delegado de homicídios João Sergio Kenupp Vasconcelos disse que Cléber Venâncio seria um pistoleiro e teria cometido o crime a mando de um terceiro.

12/06/2019 18h23Atualizado há 2 semanas
Por: Alessandro Ferreira
Fonte: Redação / Agência Tocantins
540
Cléber Venâncio é o principal suspeito de matar o taxista Alan Kardec — Foto: Divulgação/SSP-TO
Cléber Venâncio é o principal suspeito de matar o taxista Alan Kardec — Foto: Divulgação/SSP-TO

Está marcado para esta quinta-feira (13), o julgamento de Cleber Venâncio. Ele é o principal suspeito de matar o taxista Alan Kardec de Oliveira. O crime aconteceu em janeiro de 2015, no centro de Palmas, e a suspeita é que a vítima foi pega em uma emboscada.

O taxista foi morto com cinco tiros na frente da própria casa, por volta de 10h, no momento em que trocava um pneu do carro. Alan Kardec era um dos taxistas mais antigos de Palmas e tinha uma frota de carros. O filho dele, que tinha 8 anos na época, testemunhou o assassinato.

Na época, o delegado de homicídios João Sergio Kenupp Vasconcelos disse que Cléber Venâncio seria um pistoleiro e teria cometido o crime a mando de um terceiro.

A realização do júri popular foi determinada ainda em 2016, quando o juiz Gil de Araújo Corrêa, da 1ª Vara Criminal de Palmas, afirmou em decisão que havia indícios suficientes de que o réu planejou uma emboscada para o taxista.

Taxista foi assassinado na quadra 106 Norte, em Palmas — Foto: Ana Paula Rehbein/TV Anhanguera
Taxista foi assassinado na quadra 106 Norte, em Palmas — Foto: Ana Paula Rehbein/TV Anhanguera

"Vislumbro elementos que apontam que os autores do delito provocaram uma emboscada à vítima, aparentemente murchando o pneu dianteiro de seu veículo, forçando-a promover a troca e assim executá-la", afirmou o juiz na época.

O suspeito foi preso porque uma das testemunhas do assassinato, que não teve a identidade divulgada, informou que seguiu o suspeito até a casa dele após presenciar os disparos. A versão da testemunha foi confirmada por meio de vídeos feitos pelas câmeras de segurança da região.

O julgamento está marcado para às 9h na 1ª Vara Criminal, no Fórum de Palmas.

 

Outro lado

Ao site Agência Tocantins, a esposa do acusado contou que Cleber Venâncio afirma que é inocente e que não cometeu o crime e que está sendo acusado injustamente. Ela afirmou que o marido sempre trabalhou com honestidade para manter a família, e que ele não é pistoleiro, muito menos criminoso. Segundo ela, isso é uma armação para incriminar Venâncio, afirmou a esposa.

A mulher ainda disse que Cleber confia no poder judiciário do Tocantins e que está confiante que durante seu julgamento no tribunal do júri será provada a sua inocência.

Cleber Venâncio está preso na Casa de Prisão Provisória de Palmas – CPPP desde 2015, a mulher afirmou que mesmo com todo esse tempo encarcerado Cleber tem trabalhado e estudado na Unidade Prisional e que possui bom comportamento, comprovado com certidão carcerária assinada pelo Diretor da Unidade.

Taxista foi assassinado na quadra 106 Norte, em Palmas — Foto: Ana Paula Rehbein/TV Anhanguera
Taxista foi assassinado na quadra 106 Norte, em Palmas — Foto: Ana Paula Rehbein/TV Anhanguera

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Palmas - TO
Atualizado às 11h40
31°
Alguma nebulosidade Máxima: 36° - Mínima: 19°
31°

Sensação

7 km/h

Vento

36%

Umidade

Fonte: Climatempo
G&H CLEAN – SERVIÇOS DE LIMPEZA
CAMPANHA PRESENÇA DIGITAL WEB- 1
Municípios
BANNER MARRONY
Últimas notícias
Mais lidas