Saturday, 02 de July de 2022
29°

Alguma nebulosidade

Palmas - TO

Política DIVINÓPOLIS TO

Vereadores de Divinópolis protagonizam intenso debate sobre o combate a criminalidade no município

Ficou decidido que os membros dos dois poderes do município, irão à sede da Secretaria de Segurança Pública, em Palmas-TO, onde se reunirão com o titular da pasta Wlademir Costa Mota Oliveira, em data ainda a ser marcada.

21/06/2022 às 20h38
Por: Edson Gilmar Fonte: Edsom Gilmar
Compartilhe:
Vereadores durante a Sessão Ordinária desta segunda-feira (20/06) - Foto: Edsom Gilmar
Vereadores durante a Sessão Ordinária desta segunda-feira (20/06) - Foto: Edsom Gilmar

Na Sessão Ordinária desta segunda-feira (20/06), vereadores promoveram um intenso debate sobre o combate à criminalidade em Divinópolis do Tocantins. As cobranças sobre medidas por parte da classe política, se deve às manifestações da opinião pública, sobre os últimos crimes que aconteceram na cidade. O prefeito Flávio Rodrigues (MDB), esteve na Sessão, porém não se manifestou sobre o tema, uma vez que não foi inscrito na Tribuna Livre.

Em um mês Divinópolis do Tocantins, teve um assalto a banco na modalidade criminosa conhecida como “Novo Cangaço”, e três homicídios. Ao todo em 2022 aconteceram 5 homicídios no município.

O grupo do “Novo Cangaço” foi morto em confrontos com o Batalhão de Operações Especiais (BOPE), da Polícia Militar, na madrugada do dia 03 de junho, em uma rodovia estadual entre Dois Irmãos do Tocantins e Miranorte. Em relação aos homicídios, a Polícia Civil abriu inquérito e investiga os casos, porém ninguém foi preso até esta terça-feira (21/06).    

Ficou decidido que os membros dos dois poderes do município, irão à sede da Secretaria de Segurança Pública, em Palmas-TO, onde se reunirão com o titular da pasta Wlademir Costa Mota Oliveira, em data ainda a ser marcada.

Confira o que disse cada um dos parlamentares sobre a Segurança Pública, no “Tema Livre”.

Professor Ozias

O vereador Professor Ozias (MDB), cobrou elucidação imediata dos casos de homicídios, “temos que correr atrás para fazer com que a coisa ‘aconteça’. A situação do seu Zé Macena (uma das vítimas), não pode ficar impune”, frisou. Ozias lembrou ainda do histórico da luta do parlamento divinopolitano para contribuir com o combate ao crime, “’Surgiu’ (Edsom Gilmar, membro da imprensa que usou a Tribuna Livre para falar o tema abordado) tocou em um assunto interessante, quando ‘aconteceu’ aqueles crimes da Praça Leandro Adorno (caso Besouro), eu, o ‘Surgiu’, (ex-vereador) Betinho (da máquina), (ex-vereadora e atual vice-prefeita) Joelma (Dias - PSD), até ao secretário de segurança pública nós fomos. Divinópolis corre o risco de ser uma das cidades mais violentas do país. O cálculo da violência é feito por mil (habitantes). Precisamos de unirmos forças com toda a sociedade e o Legislativo, para darmos uma resposta nesse sentido”, bradou o emedebista.

Viviane Martins

A vereadora Viviane Martins (PSD),  falou das cobranças que a classe política tem recebido, sobre os fatos policiais, “é uma preocupação muito grande nossa, está cobrando das autoridades uma resposta. A sociedade cobra muito de nós”, destacou a social democrata.

Laura Curica

A vereadora Laura Curica (PSDB), falou sobre a impunidade que ainda cerca o caso, “falando na nossa Segurança Pública, e as famílias ficaram sem respostas”, disse a parlamentar que ainda citou um caso de possível abuso de autoridade de policiais na cidade, que teriam agredido um jovem morador. A tucana não especificou qual foi o jovem agredido e nem os policiais.

Paula Gil

A jovem vereadora Paula Gil (PROS), destacou que o tema Segurança Pública, vem sendo defendido há certo tempo no parlamento, “Segurança Pública é uma pauta que a gente já vem discutindo, as pessoas liga para a gente, vem cobrando... ‘e aí vão desvendar?’. Se o nosso delegado não correr atrás de esclarecer, vai fazer o que?. A gente que está dentro do poder público, a gente está fazendo”, destacou.

Igor Baracho

Em um pronunciamento eloqüente e esclarecedor, o vereador Igor Baracho (MDB), falou sobre as limitações que enfrenta a Polícia, em Divinópolis do Tocantins, “o problema está na Secretaria de Segurança Pública, o efetivo da polícia é muito pouco, eu trabalho na delegacia, só temos duas agentes (de polícia) aqui, e um delegado para atender Divinópolis e dar plantão em Paraíso”, frisou. “Temos de correr atrás de solução, cobrar a instância maior, e cobrar uma resposta. Chama a Denarc, chama outros dois delegados, coloca no caso, intensifica as investigações, que eu tenho certeza que em poucos dias ‘vai’ ‘ser’ solucionados (os crimes).”, frisou o líder político.

André Bandeira

André Bandeira (PROS), por sua vez defendeu a unidade política para a resolutividade dos gargalos nos órgão de Segurança Pública, “temos que juntar prefeito, correr para a batalha, e pedir ajuda para quem quer que seja, que vai no governador, que pede reforço para ajudar o delegado aqui, e soluciona esses casos. Não pode ficar como está não”, afirmou.

Rivaldo Barbosa

Já Rivaldo Barbosa (PSD), lembrou da quantidade de homicídios, no município, “em seis meses teve cinco homicídios, e nenhum preso, e o povo está cobrando”, criticou a impunidade.

Luiz Marinho

Luiz Marinho (PSDB), concordou com as colocações proferidas, na Tribuna Livre, “falando de Segurança Pública, e as palavras do Edsom Gilmar pra mim está ‘está’ real, tem que ser feito a justiça, porque a sociedade está cobrando. Estou pronto para ajudar”, disse o tucano.

Presidente Valdivan da Silva

O Chefe do Poder Legislativo, Valdivan da Silva (PT) alertou que se continuar aumentando os índices de crimes em Divinópolis do Tocantins, a cidade será destaque negativo, no cenário midiático nacional, “se chegar mais crimes vamos receber Revista Veja aqui, Fantástico, vamos receber todo esse noticiários nacional para dizer que a cidade é a mais violenta do Brasil. Isso é ruim para a administração, para o Legislativo, para o funcionamento das igrejas, e da comunidade em geral. Vamos trabalhar para que isso não aconteça”, finalizou o petista.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.