Terça, 18 de setembro de 2018
63 98500 8112
Palmas

15/08/2018 às 17h02 - atualizada em 16/08/2018 às 03h24

9.225

Redacao

Palmas / TO

PF investiga se ex-presidente do TJ vendeu liberdade para dono de posto acusado de homicídio
Operação da Polícia Federal cumpriu mandados de busca e apreensão na casa e gabinete do desembargador Ronaldo Eurípedes. Ele é investigado por venda de sentenças judiciais.
PF investiga se ex-presidente do TJ vendeu liberdade para dono de posto acusado de homicídio
Ronaldo Eurípides foi intimado para prestar depoimento durante operação da PF (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

A Polícia Federal apura se o desembargador e ex-presidente do Tribunal de Justiça do Tocantins, Ronaldo Eurípedes, vendeu o Habeas Corpus que concedeu liberdade ao dono de posto de combustível Eduardo Pereira, o Duda, acusado de mandar matar o empresário Wenceslau Gomes Leobas, ainda em 2016, em Porto Nacional. O desembargador Ronaldo Eurípedes é o principal alvo da operação Toth da Polícia Federal que investiga venda de sentenças judiciais.


O desembargador, a mulher dele Inês Ribeiro Borges de Sousa e Duda Pereira foram intimados para prestar depoimento e compareceram na sede da Polícia Federal. Inês disse que a família aguardava a investigação para esclarecer os fatos.


Ela nega as acusações e disse que as denúncias são infundadas. O Tribunal de Justiça do Tocantins informou que não vai se posicionar sobre o assunto. A defesa de Duda disse que vai se inteirar sobre as investigações, antes de se manifetar.


A operação foi deflagrada nesta quarta-feira (15). Policiais cumpriram 13 mandados de busca e apreensão nos municípios de Palmas, Araguaína, Formoso do Araguaia, Mara Rosa (GO) e Teresina (PI), além de 39 mandados de intimação. A casa, o gabinete e uma fazenda de Eurípedes em Goiás foram alvos de buscas.


Empresário Eduardo Pereira é acusado de mandar matar concorrente (Foto ReproduçãoTV Anhanguera)


Outra decisão que está sendo investigada é a que concedeu liberdade para o mandante de uma chacina de ciganos em Araguaína. O crime aconteceu em 2012 e dois envolvidos no caso foram condenados a mais de 70 anos de prisão. Esse Habeas Corpus também motivou o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) a abrir um Processo Administrativo Disciplinar para investigar suposta venda de decisão judicial pelo desembargador. Um dos casos investigados pela polícia envolve o ex-procurador geral de justiça Clenan Renault e os filhos dele Juliana Bezerra e Fábio Bezerra, donos de um escritório de advocacia. Os três também sao alvos da operação por causa de decisões relacionadas a uma indenização milionária que envolve o município de Lajeado.


O filho do ex-procurador negou as acusações e disse que nunca viu pessoalmente o desembargador. Disse ainda que todas as acusações são infundadas.


Segundo a PF, as investigações apontaram um elevado crescimento no patrimônio do desembargador desde quando ele assumiu o cargo no Tribunal de Justiça e uma movimentação financeira atípica nas contas bancárias de familiares e pessoas ligadas a ele.


Policiais cumprem mandados de busca e apreensão no gabinete de desembargador (Foto Antoniel da SilvaTV Anhanguera)


Operação


A operação Toth, autorizada pelo Superior Tribunal de Justiça, foi deflagrada nesta quarta-feira. A polícia investiga a suspeita de venda de decisões.


Mais de 50 policiais cumpriram mandados de busca e apreensão. O desembargador, o ex-procurador de Justiça e os filhos dele foram intimados para prestar depoimento.


Segundo a PF, a investigação teve início por meio de denúncia encaminhada ao STJ para apurar a conduta do desembargador. Os investigados podem responder pelos crimes de corrupção ativa, corrupção passiva, concussão, lavagem de dinheiro e associação criminosa.


O nome da operação faz alusão ao deus grego Toth, marido da deusa egípcia da justiça Maet. Faz correlação também com a Operação MAET da PF deflagrada em 2010 para desarticular esquema de venda de sentenças e fraudes em cobrança de precatórios.


Assassinato


Investigações da polícia apontaram que a morte do empresário Wesceslau Leobas teria sido contratada por Duda Pereira, que também é dono de postos e na época do crime era presidente do sindicato dos revendedores de combustíveis. Eduardo Pereira chegou a ser preso depois de passar quatro meses foragido, mas foi solto após uma liminar do Tribunal de Justiça, em setembro de 2017.


No dia 19 de março, o executor do crime foi condenado pela Justiça. Alan Sales Borges pegou uma pena de 16 anos de prisão em um julgamento que durou 16 horas. Borges foi condenado por homicídio duplamente qualificado, por ter dificultado a defesa da vítima e por ter aceitado pagamento para cometer o crime. Para fixar a pena, o juiz ainda levou em consideração a idade da vítima. Na época do crime, Wesceslau estava com 77 anos.


 


(Com informaçãoes do G1 Tocantins)


Veja mais notícias da região no Agência Tocantins

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
RAPIDINHAS
Postada em 06/08/2018 ás 07h33

Tocantins estado para onde muitas pessoas vieram na década dos anos 90, atrás de conseguir realizar seus sonhos e conseguir a tão sonhada casa própria e mudar de vida, em meio a um cerrado ainda sendo desbravado por nortistas, sulistas, nordestinos, pessoas vindas de todas as regiões do país, para uma terra que antes era conhecida como o corredor da miséria, pelos então moradores da região sul do Estado de Goiás.[

Terra essa, que durante alguns anos fora comandada por verdadeiros coronéis, que interromperam as realizações dos sonhos de diversos pioneiros que aqui acreditaram, é nesse pleito querem retornar ao poder no intuito de alimentar as suas ganâncias e realizar seus desejos individuais, estarão indo às ruas, batendo de porta em porta, na televisão, nos rádios e nas redes sociais para mais uma vez enganarem os sofridos pioneiros que no passado acreditara em suas promessas, que até hoje nunca ser responsabilizaram em cumprir e realmente trabalhar em prol de todos.

Postada em 03/08/2018 ás 12h19

Tudo está muito louco. Pré candidato que lutava contra a "velha política" e xingava os políticos tradicionais uniu-se a eles em nome de um projeto de poder.  O que também e pré-candidato o Juiz que criou a lei da ficha limpa para barrar políticos envolvidos em corrupção de participar do processo eleitoral se alia a esses políticos que ele tentou barrar. Vai enternder 

Postada em 31/07/2018 ás 17h35

O Bico do Papagaio é uma região bonita e rica, porém, sem investimento por parte do poder público para explorar suas potencialidades. Até o presente momento nossa região foi tratada apenas como um garimpo de votos, onde se vem extrai os votos e depois é esquecida pelos próximos quatro anos.

Precisamos de um representante que não veja o Bico do Papagaio somente como um lugar para angariar votos, mas que esses votos conseguidos aqui se transformem em benefícios para a Região.

Postada em 31/07/2018 ás 03h38

Conforme o Delegado responsável pelo caso,  o indivíduo é suspeito de ter mantido relações sexuais com a menor, mediante violência imprópria, isto é, após ter embriagado agarota de apenas 12 anos de idade.

Postada em 29/07/2018 ás 21h13

Dois carros bateram de frente na avenida Teotônio Segurado na manhã deste domingo (29). O acidente aconteceu ao lado do estádio Nilton Santos, no trecho onde a avenida tem pista única, próximo à ponte que dá acesso à região sul da capital. Conforme os bombeiros, um homem teve ferimentos mais graves e foi levado para o Hospital Geral de Palmas.

Facebook
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados - Agência Tocantins - Contatos: (63) 98500-8112 – Email: [email protected]