Sábado, 30 de Maio de 2020 19:47
63 98500-8112
Política RESPOSTA LEI SECA

A incompetência em tempos de crise; Por Marcos Milhomens

“A ignorância e a grosseria são os últimos refúgios do incompetente.”

18/05/2020 20h09
338
Por: Redação Fonte: Marcos Milhomens
Analista Político, Marcos Milhomens - Foto: Arquivo pessoal
Analista Político, Marcos Milhomens - Foto: Arquivo pessoal

Na ultima sexta-feira, 15, a Prefeitura de Palmas, através da prefeita Cinthia Caetano, publicou um decreto da “lei seca”, ou seja, proibindo a comercialização de bebidas alcoólicas em todos os estabelecimentos comerciais de Palmas, visando o combate ao Coronavírus.

Esta medida, tomada à revelia e consentimento dos empresários, está gerando muita polêmica e controvérsia. O decreto seria inconstitucional, dizem alguns juristas. Outro ponto de discussão tem sido a lógica adotada pela Prefeita. Qual estudo técnico-científico ela está seguindo para ter decretado a lei seca. Até agora, parece-me que o “achismo” tem sido o modus operandi da Cinthia.

A polêmica se gravou nesta segunda, 18, com ação na justiça, impetrada pela Associação Comercial e Industrial de Palmas – ACIPA, através de seu Presidente Joseph Madeira para anular o ato da Prefeita.

Isto dito, o que de fato precisamos compreender desta ação da Prefeita é que o papel do líder político, do gestor público, em tempos de crises, é atenuar danos, mediar conflitos, tudo o que Cinthia não faz. Já está pacificado que vivemos uma pandemia sem precedentes, que precisamos usar todas as medidas de proteção, evitar aglomerações etc. O contraponto, é que há um desespero generalizado por parte dos nossos empreendedores e com a mais absoluta razão. A esmagadora maioria, micro e pequenos empreendedores. Sem capital de giro. Sem reserva. Sem acesso a linhas de crédito. Simplesmente vão fechar as portas definitivamente. Sem possibilidade de recuperação.

Isto é outra tragédia que precisamos reverter urgentemente. No município de Palmas temos o Banco do Povo, o que está sendo feito, qual a política de linhas de créditos facilitadas e com juros negativos para atender nossos micro e pequenos empreendedores? Não há informação nenhuma a este respeito. O orçamento da capital ultrapassa 1 bilhão de reais, não há absolutamente nenhuma ação concreta por parte da Prefeita em detrimento dos decretos de fechamento dos comércios. Absolutamente nada. Também não há informações concretas, transparentes em relação à quantidade de testes para COVID 19 sendo feitos. Tudo indica que o número é dramaticamente superior aos oficiais. No que tange à população mais vulnerável, quantas cestas básicas a Prefeita já distribuiu? Quantas adquiriu?

Falta transparência. Seriedade no trato com a coisa pública. Mas acima de tudo, falta competência.

Cobrada a este respeito, com os rompantes de sempre, usando redes sociais, ela acusa sem dar nomes aos bois, que são “Patrocinadores da morte” “oportunistas disfarçados de várias classes” “saudosistas da corrupção” aqueles que, segunda ela, criticam o decreto. É uma vergonha tremenda e uma falta de respeito desmedido, se referir assim a seus munícipes. A maioria, gente séria. Trabalhadora. Gente que gera emprego e renda. Gente que investe nesta cidade, que paga seus impostos em dia e que espera, não só reconhecimento da Prefeita, mas políticas de incentivo e subsidio neste momento tão terrível.

Prefeita, ninguém aqui é patrocinador da morte.

Já diria o ditado popular:

“A ignorância e a grosseria são os últimos refúgios do incompetente.”

 

Marcos Milhomens

Analista Político

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.