Quinta, 04 de Junho de 2020 14:02
63 98500-8112
Polícia LEIDIENE PACHECO

Após quase dois anos de investigação Polícia Civil prende suspeito de assassinar empregada domestica no Aureny III

Na época do crime, o suspeito levou a bolsa da vítima, o que caracterizou o crime de latrocínio, que é roubo seguido de morte.

22/05/2020 10h22 Atualizada há 2 semanas
2.860
Por: Redação Fonte: Redação / Agência Tocantins
Leidiene Pacheco foi assassinada durante o assalto — Foto: Reprodução/Facebook
Leidiene Pacheco foi assassinada durante o assalto — Foto: Reprodução/Facebook

Dando resposta à população no seu dever institucional, a Polícia Civil do Tocantins por intermédio da Delegacia de Homicídios e Proteção a Pessoa – DHPP de Palmas conseguiu prender o suspeito de ter assassinado a empregada doméstica Leidiene Pacheco da Silva, de 33 anos. Crime ocorrido em setembro de 2018 durante uma tentativa de assalto no Jardim Aureny III, na região sul de Palmas.

De acordo com informações apuradas pela reportagem da Agência Tocantins, o suspeito do crime foi preso nessa quinta-feira (21) pela equipe de investigadores da DHPP em Palmas.  

Na época do crime, o suspeito levou a bolsa da vítima, o que caracterizou o crime de latrocínio, que é roubo seguido de morte. Crime com pena de até 30 anos de reclusão.

Sobre a prisão realizada, o Delegado Guido Camilo externou seu contentamento, afirmando que Leidiene era uma pessoa do bem, mãe de família e que a Polícia Civil do Tocantins trabalhou incessantemente para dar a devida solução ao caso e, assim, uma satisfação à família e à sociedade.

Guido Camilo também agradeceu o apoio da equipe da 1º DHPP de Palmas que não mediu esforços na investigação do caso e ressaltou que crimes de homicídio e latrocínio são complexos e levam tempo para serem solucionados. Segundo ele, o caso da Leidiene é um exemplo disso. A Polícia não tinha muitos elementos investigativos. “Tivemos que trabalhar com confronto de dados e análises para chegar ao suposto autor”, explicou o Delegado.

Após ser capturado, o suspeito do crime foi conduzido para a sede Divisão de Homicídios, onde foi realizado os procedimentos o homem que não teve a identidade divulgada foi colocado à disposição do poder judiciário na carceragem da Casa de Prisão Provisória de Palmas – CPPP.

Entenda o caso

Leidiene Pacheco da Silva, de 33 anos, morreu após ser baleada durante um assalto no Jardim Aureny III, em Palmas. Testemunhas informaram que o criminoso tentou roubar a motocicleta da vítima quando ela diminuiu a velocidade em uma rotatória. Parentes disseram que ela estava voltando para casa após visitar uma tia.

O crime foi por volta das 22h, na rotatória entre as avenidas H e D. O Samu foi ao local, mas quando chegou a Leidiene já estava morta. A Polícia Militar e a perícia da Polícia Civil também foram chamadas. Até 22h30 ninguém tinha sido preso.

A bolsa da mulher foi levada pelo criminoso. A família é do interior do estado, de Novo Acordo. Ela deixa três filhas.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.